3. LiderançaO termo é relativamente recente, mas o fenômeno é um velho conhecido. Você sofria bullying quando ia à escola? Talvez sim, na rua, no clube, ou em qualquer lugar longe da supervisão de adultos. Bullying é um termo da língua inglesa (bully = “valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente, causando dor e angústia.

As pessoas que testemunham o bullying, na grande maioria, alunos, convivem com a violência e ficam em silêncio por temerem tornarem-se a “próxima vítima” do agressor. No espaço escolar, quando não ocorre uma efetiva intervenção contra o bullying, o ambiente fica contaminado e os alunos, sem exceção, são afetados negativamente, experimentando sentimentos de medo e ansiedade.

O assunto, que era tratado como banal entre professores, pais e pelos próprios adolescentes, começou a ganhar maior visibilidade de uns anos pra cá. Muitas pessoas não sabem bem o que é bullying e como agir em relação a esse tema. Foi com este objetivo que a maior rede social do mundo, o Facebook, lançou no Brasil, no dia 16 de fevereiro desse ano, a Central de Prevenção ao Bullying, uma iniciativa que a rede social criou em 2013 e está presente em mais de 50 países. A Central é uma plataforma de apoio a quem sofre bullying e quem o faz, ou seja, vítimas e agressores, com dicas práticas sobre como se comportar nestas situações. Além de falar diretamente aos jovens, a central tem seção para pais e responsáveis.

O tema é tão relevante, que com o objetivo de capacitar professores da Rede Municipal de Ensino, a Secretaria de Educação de Paulínia deu início no dia 15 a uma série de palestras, oficinas e encontros com a Profª Dra. em Psicóloga Luciene Regina Paulino Tognetta, especialista e pesquisadora no assunto. “A escola tem por obrigação a formação ética dos seus alunos. A formação do caráter das pessoas vem da família e escola. Mas, em casa, as relações são de intimidade, não são relações públicas, como na escola”, lembrou Luciene. O bullying é uma das formas de violência que mais cresce no mundo, além de um possível isolamento ou queda do rendimento escolar, crianças e adolescentes que passam por essas humilhações podem se tornar adultos com sentimentos negativos e baixa autoestima, tendendo a adquirir sérios problemas de relacionamento e agressividade.

Para Luciene, “o bullying é um problema da instituição educativa como um todo – professores, diretores alunos e pais.”